segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Calor humano



Calor humano.
Humano.
Calor que queima se prolongado.
Calor que domina.
Calor que não satisfaz.
Será preferível a frieza da distância?
Distantes, somos frios e tristes.
Juntos uma massa composta de emoções.
Muitas vezes rivais emoções.
A natureza destrutiva e dominadora de quem pouco sabe.
Domina as relações do homo sapiens.
Difícil simbiose!
Como estar próximo e não se queimar.
E a distância gela o coração.
Na maioria das vezes prefiro a frieza da distância.
Mas procuro um pouco de calor na ignorância da convivência.
Afinal o que é a vida, além de emoções na contramão da sabedoria.

Micael.