quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Silêncio



No seu silêncio mora as respostas que tanto anseias,o tolo só fala e o sábio ouve!
Silencie seu coração e verá que as coisas não são tão feias quanto parecem,depende da altura que você as enxerga,se você estiver embaixo elas serão gigantes,mas se olhar por cima verá que são pequenas como formigas.
Observe a vida com calma,serenidade,até na tempestade existe beleza e luz!
Expanda sua mente para algo superior e se desprenda do material que nos torna limitados e fracos !

Micael A. Andrade

domingo, 26 de setembro de 2010

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Juventude.


 Juventude.
Tempo bom onde tudo é festa e melancolia.
Rebeldia descabida.
Sofrimento sem dor.
Alegria desmedida.
Querem ser chocantes e diferentes.
Mas na verdade são todos iguais.
Intempestivos.
Uma preguicinha a mais!
Tantos sonhos e promessas não cumpridas.
Corações novos não medem possibilidades,apenas desejam!
Tenho saudades desse tempo!
Será que eu era mais feliz?
Acho que não,apenas acreditava mais nas pessoas e no amanhã!
Hoje estou aqui louco pra ser jovem , feliz, e quem sabe acreditar mais no próximo!


Micael Araújo Andrade


domingo, 19 de setembro de 2010

Viva!!



Apesar dos pesares eu amo!
Eu sinto raiva!
Eu erro!
Me iludo,me engano!
Sofro e já fiz sofrer!
Sou agressivo e manso!
Me emociono e sou frio!
Sou confuso.
Sou seguro e inseguro!
Apesar dos pesares eu enfrento a vida de frente!
E vivo sem medo de morrer!
Não temo coisas inexistentes!
A morte só existe para não tem entendimento da vida real!
Vivo e não tenho medo de  errar,pois se errei foi porque tentei!
Vivo sem medo do amanhã,o amanhã será ontem e não me arrependo do que faço!
Mudar de opinião é preciso,quem pensa muda sempre!
Se você fizer a mesma coisa o resto da vida com certeza sua vidinha será sempre a mesma!
Arrisque mais e sofra menos!
O coração sempre tem razão ou a razão está no coração?
Apenas viva sem medo de ser feliz!
E se alguém te chamar de tolo,lembre – se tolo é quem não sabe sorrir  e amar!

Micael Araújo Andrade



Livro das sombras.


Entro em uma mercearia,as portas estão semi abertas.
Um silêncio que incomoda lá dentro,entro com o coração acelerado.
Minhas estão trêmulas,de pavor e fome!
Começo a encher uma sacola com suprimentos e vou comendo um pedaço de chocolate.
Consigo achar água,nossa como é bom beber água!
O som do líquido na minha garganta é como valsa!
Derrepente o silêncio é quebrado,adrenalina jorra pelo meu corpo.
Estado de alerta,será aquelas criaturaS?
Vou saindo lentamente para não fazer barulho.
...... Ouço passos lentos e decididos a me devorar.
Estou com o facão em punhos,quando surgi um corpo em busca de carne fresca.
Ele agarra meu braço e emite sons grotescos e aterrorizantes,por extinto o facão é erguido ao ar e desce como uma guilhotina!
Sua cabeça é decepada e saio correndo deixando metade da comida.
Estou na rua desnorteado,onde se refugiar?
Ando pelas ruas como um rato,pelas beiradas,me esgueirando.
Meu corpo dói,meus braços estão dormentes e estou tonto!
Alguns minutos depois encontro um carro,está com a chave no contato.
Tento dar partida e por sorte ele ligou,sai em disparada!
Andei por trinta minutos e para meu espanto e horror vi tal paisagem aterradora!
Pessoas, muitas pessoas cambaleando  e se atacando,se devorando!
A cena é terrível,uma carnificina sem precedentes!
Ao longe ouço o som de um veículo,sim um veículo salta dentre os carniceiros
e começa a atirar loucamente,esmagando os corpos com suas rodas gigantes!
Dois homens estão na pick up e parecem brincar,se divertir!
Loucura!!
Então saio de marcha ré para não ser visto.
Será o fim?
Onde está Deus? Me pergunto!
Será que sobreviverei,penso até em suicídio.
.................
Continua!

sábado, 18 de setembro de 2010

Livro das sombras.





No momento penso em como me manter nesta árvore.
Como não cair,estes galhos no momento são minha salvação.
Não posso nem respirar,nem me mover!
Sons estranhos e bizarros ecoam na escuridão,
sem luar!
Derrepente  adormeço e quase me desequilibro,seria meu fim.
Quando abro meus olhos vejo o sol raiar,será esperança?
Talvez,percebo essas criaturas sumindo das ruas e logo tudo se torna deserto.
Talvez não agüentem se verem à luz do dia.
Com cautela e medo desço a árvore...
.....
Não vejo nada,apenas pequenos gemidos de dor.
Essas criaturas sofrem e muito,matam para aliviarem suas dores!
Não vejo o céu azul,as árvores estão perdendo as cores e os animais raros!
Apenas aves ainda vivem!
Tenho que procurar água e comida,onde?
E se eles estiverem nas lojas e casas,na escuridão dos cômodos!
Vou entrar no mercado abandonado,mas antes preciso de uma arma!
Consegui um facão e uma pistola 40 mm de um policial sem rosto!
Lá vou me embrenhar pelo escuro das paredes  que nos prenderam um dia!
.................. continua.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Apenas corpos sem alma.


O dia vai se esvaindo,a tarde se torna escura.
Uma penumbra toma conta dos ares.
Corpos cambaleantes vagam pelas ruas sorrateiramente.
A procura de sangue novo.
Poucos os que sangram e batem um coração.
Olhos negros e corpos eretos como seus conceitos.
Meu medo é incansável e me domina,adrenalina já tomou conta do meu corpo.
Meus olhos de pupilas abertas procuram frestas para se esconder.
Mas onde?
Essas criaturas tomam conta das ruas cada dia mais.
Cães ladram de pavor e são devorados por dentes insaciáveis.
Porque?Me pergunto!
Mas não consigo pensar,é apenas medo e medo.
Impotência!
Estou alto agora,na árvore espio trêmulo as criaturas vagantes.
Que um dia foram pessoas.
E agora o que são?
Pessoas pelo avesso,o seu interior foi colocado para fora!
Apenas a vontade de devorar sem se preocupar.
Penso se ainda existe milagre.
Será? Onde está ?
Não me abandone.
Continua..............


terça-feira, 7 de setembro de 2010

Erros.


O que é errar?
É não seguir padrões?
Ser diferente?
Não aceitar as coisas como são?
Quem está certo ou errado?
Na verdade estamos sempre envolvidos em erros!
Cada verdade tem um certo e errado.
Uma verdade é vendida pra cada pessoa.
E o que é verdade?
Ser verdadeiro é saber errar e aceitar que errou!
Sem desculpas para o erro.
Erro e continuo errando,só aprendi quando errei.
Já acertei e me arrependi de ter acertado.
Porque andar na linha?
Pessoas muito certinhas sofrem.
Sofrem por ser o que não são!
Ninguém é certinho!
A vida é um mar e nesse mar existe muita agitação!
Sem maleabilidade quebramos ao meio!
Temos que viver pelos momentos,instantes que passam!
Acertar ou errar é irrelevante,apenas viva!
Tudo que somos hoje se deve a quem errou antes!
Juntos com os erros existem as conseqüências!
Apenas pague pelo os erros sem lamentações!
O certo é mais fácil do que errar.
Nossas verdades mudam,nossas decisões também!
Não existe verdade,certo e errado.
Apenas falta de conhecimento e discernimento.


Micael Araújo Andrade

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Barquinho.



Pequeno barco viaja na imensidão desse mar.
Mar calmo,mar revolto!
Suas ondas rebentam entre pedras e corais!
Sabe ser pacífico e revolto!
Me levando ao seu prazer e insanidade!
Barquinho viaja trêmulo sem rumo.
O vento sopra e enche de esperança o que era solidão.
Estar só neste mar é cruel, na abundância nada ser ou ter  é pesado.
Barquinho á deriva todos somos,quando iremos atracar no porto seguro?
Um dia chegaremos,e quando chegar toda minha bagagem acumulada na viagem,
será  um guia para viagens posteriores!
Barquinho de papel se desfaz,mas uma mão de amor renova o barquinho e nos lança de volta
a essa aventura de viver!
Um dia esse barquinho não mais voltará,
E se tornará um farol a guiar quem de luz precisa
para enxergar na imensidão do nada!

Micael Araújo Andrade