quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Social

Vivo sonhando com dias melhores quanto ao social.
Dias fartos de atitudes e poucas falas.
Sonho que um dia as pessoas em vulnerabilidade social não sejam apenas objetivo de pesquisa
ou estatísticas.
Há muitos anos participo de palestras, seminários, congressos e outros encontros...
Sempre mais do mesmo.
Acadêmicos intelectuais que muito bem falam.
Mas pouco conhece da vida real.
Vive no seu mundinho acadêmico ou na servidão pública.
Apropria-se de vidas que mal conhece.
Opina sem primeiramente entender os sentimentos do seu objeto.
Mestrados e Doutorados defendidos, e a massa continua lá.
Só nesse mar de egos inflados.
Quem defende os excluídos?
Enquanto não olharmos de maneira horizontal as pessoas será apenas paliativo as ações.
Não sou adepto do bem falar, gosto do bem fazer!
E poucos bem fazem.
Pessoas não vivem de números, estatísticas, doutorados, mestrados e diplomas!
Pessoas querem dignidade.
Ser reconhecido como ser humano.
Prefira as ações, teorias morrem e a vida continua!
Desçamos dos pedestais da arrogância e egoísmo.
Ajudar é olhar sem indiferença.
Amar e ajudar é saber que todos têm um lugar ao sol!
E que para manter uma vida abastada não precisamos sugar aqueles menos favorecidos.
Precisamos distribuir por igual às riquezas.
Paremos de ostentar coisas fúteis.
A vida é feita de emoções e não de coisas materiais.
Não distribua esmolas, cestas básicas e coisas poucas.
Distribua a igualdade.
Veja o seu próximo com igualdade.
Saibas que ninguém é superior porque tem dinheiro.
Ninguém é superior.

Micael