sábado, 29 de agosto de 2009

Hipocrisia!






Começa o dia, fazemos nossos rituais de sobrevivência, pensamos no futuro, nos preocupamos no presente com medo do que pode vir a frente.

Tantas perguntas, poucas respostas, cada um acha que sabe mais do que o outro,interessante pensar nisso!

Saber mais, mais o que? Ninguém sabe nada! Todos dão soluções,fórmulas, mandingas, magias, igrejas nos vende fé baseada no material, ou gurus falam com maestria de coisas espirituais.

Quanta coisa a pensar, quem está certo? Todos mostram resultados, milagres, graças alcançadas, e tudo é certo, sem falhas. Se todos estão certos o que está errado?

A verdade é que não precisamos de nada disso, Deus nos quer felizes, estamos aqui neste planeta pra aprender algo, que mude algo errado em nós,se tudo fosse perfeito, não tivessemos os obstáculos da vida o que aprenderiamos?Nada! Nada!

Temos que aprender a viver cada dia como único, pensando em cada passo que damos, analisando o que é mais vantajoso de praticar.

Não adianta ir na igreja, no centro espírita, sinagoga, mosteiro,e tantos outros templos da fé, se não temos atitudes corretas, precisamos avaliar nossos sentimentos, o que sentimos em relação ao próximo, nos despir da hipocrisia que domina o interior de cada pessoa, somos rápidos no julgar tudo que nos é diferente tem uma conotação de errado, então logo se condena o que não faz parte do seu mundo.

Paremos de observar a vida alheia, a nossa precisa de melhorias, pare de se achar o melhor pois estamos no mesmo barco, muitos ditam regras diariamente mas não a seguem.

Você acha que padre, pastor, pai de santo, guru, ancião, ou qualquer outro “líder”religioso segue as regras? Não sejamos tolos! Entregamos nossas vidas em mãos tão sujas quanto as nossas!

Na verdade sabemos o que é certo e errado, mas vivemos procurando desculpas para justificar os erros que cometemos.

A hipocrisia reveste nossa alma e transforma pessoas escravos de si mesmos!

Quando nos libertarmos deste mal seremos mais serenos, praticaremos o bem, de coração, sem obrigação alguma!

Alguns me condenarão ao ler este texto, pois são hipócritas e vivem a ilusão de serem melhores do realmente são!

Que Deus lhes traga a sabedoria de serem verdadeiros! Sem máscaras!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Dalai Lama


Certa vez, Atisha foi questionado por seus discípulos: Qual é o ensinamento mais elevado do caminho? Atisha respondeu:
A mais alta habilidade é a realização do estado sem ego.
A mais elevada nobreza está em subjugar sua própria mente.
A mais elevada excelência está em ter uma mente que procure ajudar os outros.
O mais elevado preceito é a contínua vigilância e plena atenção serena.
O mais elevado remédio está em compreender a ausência de realidade de todas as coisas.
A mais elevada atividade está em não se conformar com preocupações mundanas.
A mais elevada realização é a diminuição e transmutação das paixões.
A mais elevada generosidade se encontra no desapego.
A mais elevada disciplina é uma mente pacífica.
A mais elevada paciência é a humildade.
A mais elevada persistência é abandonar o apego a todo fazer.
A mais elevada meditação é uma mente sem pretensões ou inclinações.
A mais elevada sabedoria é não se agarrar a algo assim que aparecer.
Ao deixar a província ocidental de Nari, Atisha deu o seguinte aconselhamento aos seus discípulos reunidos:
Amigos, até que tenham obtido iluminação, o professor espiritual é necessário; logo, apóiem-se no sagrado professor espiritual. Até que tenham realizado completamente a natureza da vacuidade, vocês devem ouvir o ensinamento; logo, ouçam atentamente ao preceito do professor. Meramente saber o Dharma não é suficiente para se tornarem iluminados; vocês devem praticar constantemente. Vão para longe de qualquer lugar que seja danoso à prática; permaneçam sempre num local que seja condutor da virtude. O clamor é danoso até que obtenham uma mente firme; logo, fiquem num local isolado. Abandonem os amigos que fortalecem os grilhões das suas paixões; apóiem-se nos amigos que façam aumentar a virtude. Mantenham isso em mente. Nunca haverá um fim nas coisas a fazer, portanto, limitem suas atividades. Dediquem sua virtude dia e noite e estejam sempre serenamente alertas.
Uma vez que tenham obtido o preceito do professor, vocês deveriam sempre meditar no ensinamento e agir em harmonia com a fala do professor. Quando fizerem isso com grande humildade, os efeitos se manifestarão sem atraso. Se agirem de acordo com o Dharma a partir das profundezas do seu coração, tanto a comida quanto os itens necessários virão naturalmente.
Amigos, não há satisfação nas coisas que vocês desejam. É como beber água do mar para satisfazer a sede. Logo, estejam contentes. Aniquilem todas as formas de pretensão e ambição, orgulho e conceito; subjuguem-se e sejam pacíficos. Abandonem tudo que alguns chamam de "virtude", mas que na verdade são um obstáculo à prática do Dharma. Como se fossem pedras num estreito caminho escorregadio, vocês devem limpar todas as idéias de ganho e respeito, pois elas são a armadilha do demônio. Como ranho no nariz, assoem todos os pensamentos de fama e exaltação, pois eles servem apenas para iludir e enganar.
Já que a felicidade, o prazer e os amigos que vocês têm acumulado duram de apenas um momento, virem as costas para eles. A vida futura não é mais longa do que esta vida, portanto cuidadosamente zelem seu tesouro de virtude para se proverem no futuro. Vocês deixarão tudo para trás quando morrerem; não se apeguem a nada.
Deixem para trás o ato de desanimar e depreciar os outros e gerem uma mente compassiva por aqueles que são seus inferiores. Não tenham apego profundo por seus amigos e não discriminem seus inimigos. Sem serem invejosos ou cobiçosos das boas qualidades dos demais, com humildade desenvolvam estas qualidades vocês mesmos. Não se incomodem examinando as falhas dos demais, mas examinem as suas próprias. Purguem-se delas como sangue ruim. Tampouco devem se concentrar nas suas próprias virtudes; ao invés, respeitem-nas como um servo faria. Estendam amor e gentileza a todos os seres como se eles fossem seus próprios filhos.
Sempre tenham um rosto sorridente e uma mente amável. Falem honestamente e sem raiva. Se saírem dizendo muitas coisas sem sentido, vocês cometerão erros; assim, falem com moderação. Se fizerem muitas coisas sem sentido, seu trabalho virtuoso cessará; abandone as ações que não sejam espirituais. É inútil esforçar-se com trabalho inessencial. Já que qualquer coisa que aconteça com vocês vem como resultado de seu karma passado, os resultados nunca coincidirão com seus desejos presentes. Logo, fiquem calmos.
Ó, é bem melhor morrer do que causar a vergonha de uma pessoa santa; logo, vocês devem sempre ser francos e sem falsidade. Toda a miséria e felicidade dessa vida surge do karma dessa e de vidas passadas; não culpem os outros por suas próprias circunstâncias.
Até que vocês se subjuguem, vocês não podem subjugar outros; logo, primeiro subjuguem a si mesmos. Vocês não têm capacidade para amadurecer os demais sem clarividência; façam um grande esforço para atingir a clarividência.
Vocês certamente morrerão, deixando para trás qualquer riqueza que tenham acumulado; logo, tenham cuidado para não reunirem aviltamento devido à fortuna. Já que prazeres que distraem não têm substância, adornem-se com a virtude da doação. Sempre mantenham disciplina ética pura, pois ela é bonita nessa vida e assegura felicidade em vidas futuras. Nessa era da Kaliyuga, na qual o ódio é desenfreado, assumam a armadura da paciência, que anula a raiva. Permanecemos no mundo pelo poder da preguiça e indolência; assim, devemos atear fogo como que num incêndio ao nos esforçarmos pelo atingimento. Momento após momento, suas vidas são desperdiçadas quando atraídas pela isca, pelo engodo das atividades mundanas; é tempo de meditar. Por estarem sob a influência de visões errôneas, vocês não percebem a natureza da vacuidade. Zelosamente busquem o significado da realidade!
Amigos, o samsara é um vasto pântano no qual não há felicidade verdadeira; corram para o local de liberação. Meditem de acordo ao preceito do professor e sequem o rio da miséria samsárica. Tenham sempre isso em mente. Ouçam bem esse conselho, que não é feito de meras palavras, mas que vem direto de meu coração. Se seguirem esses preceitos, não farão feliz apenas a mim, mas a vocês mesmos e a todos os outros da mesma forma. Embora eu seja um ignorante, eu lhes instigo a lembrarem dessas palavras.
Numa outra vez, Atisha afirmou:
Essa era negra não é o tempo para demonstrar sua habilidade; é o tempo de perseverar através do apuro. Não é o tempo de ter uma posição elevada, mas tempo de ser humilde. Não é tempo de de se apoiar em muitos atendentes, mas tempo de se apoiar na solitude. Tampouco é tempo de subjugar discípulos; é tempo de subjugar-se. Não é tempo de meramente ouvir palavras, mas tempo de contemplar seu significado. Não é tempo de visitar aqui ou acolá; é tempo de permanecer só.
Quando o venerável Atisha estava em Yerpadrak, perto de Lhasa, ele deu o seguinte preceito:
Nobre filhos, reflitam profundamente nessas palavras. Na era negra, as vidas são curtas e há muito a ser compreendido. A duração da vida é incerta; vocês não sabem por quanto tempo viverão. Assim, vocês devem fazer grandes esforços agora para preencher seus desejos corretos.
Não se proclamem monges se vocês obtêm as necessidades da vida à maneira de um leigo. Embora vivam num monastério e tenham abandonado as atividades mundanas, se vocês se agitam pelo que abandonaram, não têm direito de proclamar, "Sou um monge vivendo num monastério". Se suas mentes ainda persistem em desejos por coisas agradáveis e ainda produzem pensamentos danosos, não proclame, "Sou um monge vivendo num monastério". Se ainda se rodeiam com pessoas mundanas e desperdiçam tempo em conversas mundanas e sem sentido com aqueles com quem vivem, ainda que estejam vivendo num monastério, não proclamem, "Sou um monge vivendo num monastério". Se são impacientes e saem se sentindo menosprezados, se não conseguem ser ao menos um bocadinho de auxílio aos outros, não proclamem, "Sou um monge bodhisattva".
Se falam assim com pessoas mundanas, vocês são grandes mentirosos. Vocês podem se safar ao dizer tais coisas. Contudo, não podem enganar aqueles que têm a vasta e ilimitada visão da clarividência, nem podem enganar aqueles que têm o olho dhármico da grande onisciência. Nem podem enganar a si mesmos, pois os efeitos do karma os seguem.
Para permanecerem num monastério, é necessário abandonar os modos mundanos e o apego aos amigos e parentes. Ao renunciarem a suas companhias, estão se livrando de todas as causas conexas de apego e nostalgia. Daí em diante, vocês devem procurar a preciosa bodhichitta. Nem mesmo por um instante devem permitir que surja sua obsessão passada com assuntos mundanos. Primeiramente, vocês não praticaram adequadamente o Dharma e, sob a influência de hábitos passados que minaram suas forças, vocês continuamente produziram os conceitos de uma pessoa mundana. Como tais conceitos são predominantes, a menos que façam uso de fortes antídotos a eles, é inútil permanecer num monastério. Vocês seriam como os pássaros e animais selvagens que lá vivem.
Em resumo, ficar num monastério não será de auxílio se vocês não reverterem a obsessão por coisas afáveis e não renunciarem às atividades dessa vida. Pois se não cortarem essas inclinações, ao pensarem que podem trabalhar pelos objetivos tanto dessa como de vidas futuras, vocês não realizarão qualquer coisa, a não ser práticas religiosas incidentais. Esse tipo de prática não é qualquer coisa a não ser prática hipócrita e pretensiosa feita por ganho egoísta.
Conseguinte, vocês devem sempre procurar amigos espirituais e se afastar de má companhia. Não se tornem radicados em um local nem acumulem muitas coisas. O que quer que façam, façam-no em harmonia com o Dharma. Deixem que qualquer coisa que façam seja um remédio para os grilhões das paixões. Essa é a verdadeira prática religiosa; façam grande esforço para isso. Conforme seu saber aumentar, não sejam possuídos pelo demônio do orgulho.
Ao permanecerem num local isolado, subjuguem-se. Tenham poucos desejos e estejam contentes. Não se deleitem em seu próprio conhecimento, nem procurem as falhas dos outros. Não sejam covardes ou ansiosos. Sejam de boa vontade e sem preconceitos. Concentrem-se no Dharma ao se distraírem pelas coisas erradas.
Sejam humildes e, se forem derrotados, aceitem isso graciosamente. Abandonem a ostentação; renunciem ao desejo. Sempre gerem uma mente compassiva. O que quer façam, façam-no moderadamente. Sejam facilmente contentáveis e facilmente sustentáveis. Corram como um animal selvagem do que quer que possa aprisioná-los.
Se não renunciarem à existência mundana, não digam que vocês são sagrados. Se não renunciarem à terra e à agricultura, não digam que adentraram a Sangha. Se não renunciarem ao desejo, não digam que são monges. Se não tiverem amor e compaixão, não digam que são bodhisattvas. Se não renunciarem ao fazer, não digam que são grandes meditadores. Não estimem seus desejos.
Em resumo, quando estiverem num monastério, engajem-se em poucas atividades e apenas meditem no Dharma. Não tenham causa para arrependimentos no momento da morte.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Batalhas!







No campo de batalha sou mais um.
Anônimo, solitário e lutando pra sobreviver.
O inimigo é implacavel, está sempre a espreita.
No primeiro fraquejar ele ataca.
Mas somos vários nesse pelotão.
Só que várias visões, várias experiências,
algumas boas e outras descartavéis.
Quando a luta está no auge recuamos e perdemos terreno, estado de alerta!
Estamos a merce da morte!
Podemos reverter essa situação, sim á força necessária,
mas a apatia e fraqueza é tanta que tudo se torna difícil e pesado!
Não empunhamos a arma com firmeza,
aceitamos o ataque sorrindo.
Dei mais do que podia nessa batalha!
Mas depois de tanto tempo não tenho mais força.
Calo minha mente e meu coração que sangra e muito.
Me sinto impotente.
Já é hora de tomar as rédeas de minha vida e caminhar.

Talvez procurar outra batalha junto de guerreiros dignos da vitória!

Tenho certeza que terei uma nova chance de ser vitorioso!

E aos que ficam sobra a tristeza de ser mais um derrotado!

Um bom guerreiro sabe a hora de recuar e atacar, mas nuca desistir.

A vida não perdoa derrotados!

Ande de cabeça erguida, o pior perdedor é o que sucumbe sem lutar!

Morrerei lutando e feliz por ter feito minha parte no campo de batalha.

O campo de batalha é o mundo que vivemos, e as lutas são os desafios diários,

e temos que ter força para superar!

Peço a Deus sempre que me abençoe com seu amor para que a chama da vida

habite em neu coração forte e flamejante!

Que os inimigos sejam fortes e leais e me tragam algo novo em minha vida!

E que os amigos sejam mais fortes e leais ainda!

Nunca desista, lute até a última gota de sangue correndo em suas veias!

Lute com amor no coração, com certeza vencerá!!!!!!!!!!!

Deus ajuda os fortes e espera que um dia os fracos acordem e lutem com entusiasmo!!



Micael Araújo Andrade


13/08/2009

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Deus!


Deus!!!!!!!!!!
Tão julgado,tão pesquisado,te transformam em carrasco, inquisidor,juiz,mágico,charlatão,pai,mãe,filho,espírito,sois,luas,criança e te dão tantos nomes,poderia falar muitos e muitos.
Será que Deus se alegra com isso?
Ele muito mais que um nome,que uma definição.
Todos se preocupam em não pecar,serem retos,puros,intelectuais.
Pra que?
Não conseguem nem amar a si!
Deus sopra seu amor sobe nossos corações e não paramos para senti-lo!
Procuramos ele no dinheiro,no material,no parceiro,na igreja em tantos lugares!
Ele mora em nós!
Enquanto uns julgam os outros o tempo passa e tudo é perdido!
O que ganhamos julgando?
Querem provar que Deus existe ou que não existe,pra que?
Ele não precisa de você,pelo contrário!
Abra seu coração!Por favor abra,Ele quer entrar!
Só que estás tão preocupado com a conta,com o carro,com os filhos,com a empresa,emprego,procurando salvação em alguém.
Pare olhe pra dentro de si e encontrará respostas!
Deixe Deus trabalhar na sua vida!
Mexa-se e tudo se encaminhará!
ELE só quer te ver sorrindo!
Não quer promessas e nem sacrifícios!
Deus perdoe-nos tanta ignorância!!!!!!!!!!!

Micael Araújo Andrade

11/08/2008

Promessas!


Promessas!
Prometemos tantas coisas ao longo da vida,temos tanta força para sustentar tais promessas?
Como prometemos ser feliz,amar eternamente,prometemos nunca esquecer alguém,prometemos não pecar,não trair,não invejar,não amaldiçoar,prometemos fidelidade,lealdade,nossa!Quantas promessas e você pode falar:
-Eu não prometo nada.
Mentira,todos prometemos!
Queremos ser mais do que somos realmente.Não prometa,apenas faça o que tem que ser feito.
A cada dia existe uma situação nova na vida e de repente nos vimos presos a promessas.
Deixe as coisas fluírem com leveza,a vida é para ser sentida como uma brisa refrescante num dia de verão.
Calma,não prometa,faça,sem promessas,você sabe o futuro?Só assim não erraria.
Sua alma é eterna!Porque a pressa?
Viver é andar de bonde,descemos em algumas estações,subimos de volta até um dia chegamos pra parada final.
Voltamos em outro lugar,outro tempo,mas nada muda só se repete o trajecto com novos nomes e novas estações.
Por isso não prometa ou você correrá o risco de parar esse bonde,não verá as paisagens e murchara melancolicamente pouco a pouco como um anestesiado sem entusiasmo e vendo outros bondes passarem sem lhe dar bola,pois a vida não para.
Portanto não pare,movimente este bonde rumo a estação final que nos leva ao começo!

Promessas é o combustível da tristeza!

Micael Araújo Andrade

11/08/2009

domingo, 9 de agosto de 2009

Seja você!




Hoje pensei muito no que é importante,sim o que realmente é importante?


Pensei em moda,seguir moda porque?Algumas pessoas inventam o que já foi inventado,muda o nome põe uma etiqueta e pronto vira moda.Porque damos tanta importãncia a um pedaço de pano.


Celebridades,vejo isso com desprezo,desprezo a quem idolatra pessoas normais como nós,muitas vezes o ídolo é um idiota,cheio de defeitos,as vezes prepotente.O que faz um ser humano exaltar outro?Falta de amor próprio!!


Consumo,consumimos muita coisa por imposição,nos bombardeiam informações em massa,nos fazem pensar que lanches mortíferos pela sua composição,músicas idiotas sem nexo feita por pessoas idiotas,carros iguais a qualquer outro,roupas que são pedaços de pano,filmes estúpidos que insultam nossa inteligencia,livros sem conteúdo,políticos ladrões que nos roubam e brincam com nosso dinheiro que é fruto de muito esforço,programas televisivos que pregam a imbecibilidade,novelas comandam nosso lar com seus bordões e putarias explícitas(desculpe o termo putaria)como se fosse normal trair,trapacear,roubar,os valores de respeito próprio são jogados ao chão,moças lindas se matam e idiotas da moda que estimulam isso,gente vazia que morre na solidão.


Posso ficar numerando muitas coisas,mas tá bom.


Por favor pense nisso que escrevi,você é autentico ou mais um bonequinho moldado pelo sistema de marketing consumista que nos manipula o tempo todo.


Quem é você?


O que você valoriza tem realmente valor?


O mundo pode ser melhor,seja você!!!!


Não seja dominado,aprenda a questionar,não engula as coisas guela a baixo,,se valorize!!


Se valorize!!!!