sexta-feira, 5 de abril de 2013

Garoa&Silêncio



O sol se foi.
Seu calor se desfez.
A garoa fina e fria envolve a noite.
Estou a pensar.
No viver.
Um silêncio inquieto.
Ouço o silêncio como se me envolvesse.
Nostálgicas lembranças.
Aspirina da saudade.
A sensação de que foi bom.
Será a pureza da idade?
Hoje penso no que foi.
Sinto medo do que virá.
O que vier seja sereno como essa garoa da noite
Que acalma minha alma.
E me faz prisioneiro do silêncio!

Micael.

2 comentários:

Claudio Chamun disse...

Grandes feitos surgem de almas simples e pensamentos humildes, pessoas que trabalham com coração, sem esperar nada em troca!

Só esta frase já valeu a visita.
O poema também é muito bonito.

Claudio Chamun disse...

PS: Não queres tirar o captcha?
Muita gente deixa de colocar comentários por causa da verificação de palavras.