domingo, 17 de outubro de 2010

Sol



Sol nascente.
Ardente entre meus olhos!
Trás me força no dia de hoje!
Quero brincar o dia.
Brincar de ser feliz.
De ser Esperto.
Quero vencer o jogo!
Mas não sei jogar!
Se é que existe o jogo da vida!
Seram cartas marcadas nosso destino?
Quem dá as cartas?
Deus?
Você?
Não sei!
Só sei que arde meus olhos!
Ainda bem!
Assim minha visão é limitada e meu coração bate lento.
Sol nascente,sol ardente ateia fogo na minha alma.
Queima tudo que é lento e nocivo!
Queima as dúvidas e clareia as respostas!
Sol poente se opõe a vida e ofusca um sorriso!
Trás o fim e jogas o manto escuro sobre nós!
No seu lugar só a Lua minguante minguando meu viver!
Sol vai e vem!
A lua cheia floresce o que já não era vivo!
Sol vai e vem!
A lua nova não renova,trás escuridão ao que já era escuro!
Sol vai e vem!
Lua crescente que faz crescer a semente da vida!
Vai sol,vem lua!
Meu destino é um só!
O que importa é viver cada Lua e ver o sol se por!

 Micael A. Andrade

4 comentários:

J. disse...

É cara viva a vida, deus inventou o sol para isso, a lua para isso e funk neurótico também.

Edu Chaves disse...

Bonito poema sobre o Sol. Ele representa várias coisas em outras culturas. É uma estrela muito misteriosa.r

Anônimo disse...

Muito belo o seu poema!
Estou ajudando uma amiga minha com a divulgação do blog dela, ficarei grata se puder seguir e comentar ! http://gihcamp.blogspot.com/

André Poerschke Vieira disse...

Sol é revigorante. Muito bom o poema.

http://umdiaentenderei.blogspot.com/