quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Passas!





Vida que passa.
Vida.
Vida minha.
Cada dia a esmo.
Cada dia a nada.
Fantasias e vazios.
Tudo era não.
Tudo vão.
Sem saber o que era.
O que seria.
Chegou e criou tempestade.
Flecha no meu coração.
Abalou.
Treme o coração.
Escancarou as portas e janelas,
do meu coração.
Entrou sem pedir licença.
Até o além me convenceu.
União instável.
Loucura.
Insanidade.
Explosão de prazer.
Explosão de viver.
Mudanças.
Andanças.
A noite se foi e somente o Sol.
Iluminando-me.
Alguns dias de chuva.
Mas passageiras.
Amor iluminado não cessa.
Não se cala!
Passamos e sentimos emoções.
Devastadoras emoções!
Mas corações guerreiros aprendem a dominar as emoções!
Hoje é bonança!
Tempestades agora apenas brisa!
Obstáculos menores.
Otimismo em meio às dificuldades.
A certeza da solução.
Solúvel é o viver.
Dissolver emoções.
E degustar momentos!

Micael A. Andrade

5 comentários:

Marco disse...

a poesia ficou boa

Tati disse...

Enquanto sua poesia degusta momentos, nós, aqui, degustamos bons versos! Coisa boa ler poesia de quem a sente!

Juan Dias disse...

adorei essa poesia e assim a vida passa ^^

Zetrusk disse...

Você junta as palavras tão bem, gostei dos seus posts! Continue assim. Já pensou em escrever músicas?

Epifânico disse...

Degustar momentos, falou tudo cara. Degustar é anestesiar qualquer dor que possa nascer.