domingo, 14 de outubro de 2012

Razão




A razão me impulsiona á luta!
Todos os dias na batalha, na labuta.
Dias caminhando no amanhecer, me perguntando até quando?
É tudo que tens pra mim?
Sempre mais do mesmo?
Sempre atrás do vento!
Apesar de sofrer e querer parar, desistir!
Não paro a razão ou a paixão de viver me lança!
Mais um passo, mais um sorriso bobo.
Sigo em frente.
O tenho a perder?
A temer?
Tudo parecia difícil, navalha na carne.
Muitas vezes meu suor acariciado pela leve brisa.
Um toque de Deus? Um continue? Não desista!
Noites frias, em claro!
Noites pensantes e cortantes!
Medos e dramas!
Meus sonhos, a meus sonhos!
Concreto somente aquele da padaria.
Abstrato como a vida.
De concreto a incerteza de mais um dia.
Momentos.
Amalgama de sentimentos.
Contraditório é minha alma.
Conflitante meus sentimentos.
Sentir.
Por quê?
Pra que?
Por quem?
Qual o momento?
Medo.
Sim tenho.
Mas me faz forte.
Enfrento todos os dias.
Às vezes esqueço.
Vou caminhando.
Caminhando
Caminhando...
Até onde?
Até o fim.
Fim da linha.
Fim do medo.
Apenas ao começo.
Tudo que fiz foi por amor.
Amor à vida.
Amor pra aprender.
Um dia não mais sofrer.
Um dia contemplar sorrisos.
Um dia quem sabe, um dia..

Micael A. Andrade

6 comentários:

Tati disse...

Senti uma conversa com seu próprio "eu" travestido de versos livres...

Jefferson Prime disse...

po muito bacana...

legal o blog tmb...

http://www.facebook.com/Nerdofobia

Marco disse...

textos inspirados são sempre os melhores.

Cícero Barbosa disse...

mandou muito bem!

Aline disse...

Que lindo e sensível!

Juan Dias disse...

muito bom